segunda-feira, Outubro 6

Bolo Natural de Cacau





























Sem glúten, sem açúcar, sem farinha
Rende 1 bolo com cerca de 15 fatias
Tempo de preparação: 90 minutos


Ingredientes

3 cups (chávenas) de amêndoas e cajus sem sal triturados
1/2 cup (chávena) de cacau cru em pó
2 colheres de chá de fermento sem glúten
2 bananas maduras
1 vagem de baunilha
1/2 cup (chávena) de óleo de girassol não refinado, prensado a frio (ou óleo de coco)
1/2 cup (chávena) de leite de amêndoas natural (não açucarado)
5 colheres de sopa de Geleia de Arroz

Como preparar

Pré-aquecer o forno a 180º.

Num processador de alimentos/robot de cozinha, triturar as amêndoas e os cajus durante uns minutos.

Numa taça grande, misturar esta farinha de amêndoas e cajus com o cacau e o fermento.

Esmagar as bananas e juntar à taça, juntamente com o óleo de girassol ou de coco, o leite de amêndoas, a geleia de arroz e as sementes da vagem de baunilha (para retirar as sementes fazer um corte longitudinal na vagem e raspar as sementes do seu interior). Mexer bem com uma vara de arames.

Forrar uma forma redonda com papel vegetal e deitar a massa na forma. Levar ao forno cerca de 40 minutos ou até um palito sair limpo.

Deixar arrefecer bem antes de desenformar. Reservar.


Para a cobertura

1 cup (chávena) de tâmaras biológicas, previamente demolhadas durante algumas horas
1/4 cup (chávena) de cacau cru em pó
1/2 cup (chávena) de água fresca
1 colher de sopa de geleia de arroz (opcional)

Bater todos os ingredientes num processador de alimentos/robot de cozinha até obter uma textura cremosa. Reservar.


Finalização e decoração

Com a ajuda de uma espátula espalhar a cobertura sobre o bolo. Decorar com frutos vermelhos e amêndoas picadas grosseiramente.




quarta-feira, Outubro 1

Vai atrás daquilo que te faz feliz

Por vezes é difícil aceitar que o caminho que escolhemos não era o melhor para nós. A verdade é que me fui apercebendo ao longo dos 5 anos em que trabalhei em auditoria, que aquilo não me preenchia, não me realizava nem acrescentava algo mais à minha vida.

Sempre tive muitos sonhos, sonhos esses que estiveram hipotecados durante tanto tempo, pura e simplesmente por uma questão de comodismo e estabilidade. Porque tinha um salário certo ao final do mês, e principalmente porque era mais fácil não arriscar.

Mas o meu desejo sempre foi trabalhar por conta própria, criar algo meu, algo que tivesse realmente significado para mim, e que de alguma forma contribuísse para melhor a vida dos outros. Nunca senti isso na área financeira.

O veganismo foi para mim o impulso para ir atrás dos meus sonhos. Comecei a desejar partilhar aquilo que estava a viver com outras pessoas e a inspirá-las de alguma forma. Daí até criar A Cozinha Verde foi um passo. Encontrei o meu propósito de vida e lutei por ele. Tão simples quanto isto.

A minha rotina mudou drasticamente. Aprendi a trabalhar sozinha. Pelo facto de trabalhar muito a partir de casa, aprendi a organizar-me e a gerir da melhor forma o meu tempo.
Aprendi a não ter horários certos e a ter auto-disciplina. Aprendi a controlar a ansiedade e a aceitar a imprevisibilidade do meu trabalho.

Nada disto seria possível se não gostasse verdadeiramente do que faço. Se não vibrasse a todo o momento com isto. Se não sorrisse todos os dias pelas palavras bonitas e sentidas que ouço das pessoas que vou conhecendo nos workshops, que me fazem encomendas ou que me enviam mensagens e e-mails a pedir-me ajuda. Sinto que estou a fazer a diferença na vida de alguém. E por isso, tudo isto vale a pena.

sexta-feira, Setembro 26

"Overnight Oats" de Manteiga de Amendoim e Banana



Confesso que nunca liguei muito a papas. Não pelo sabor, mas sim pela textura. Gosto de trincar, da textura crocante.

Este portanto não é o meu pequeno almoço preferido, mas de vez em quando lá faço as famosas papas de aveia. Primeiro para variar um bocadinho, depois porque serve muito bem para aquelas manhãs em que não podemos perder tempo a preparar o pequeno almoço. Faz-se à noitinha, antes de deitar, e quando acordamos já o temos à nossa espera.

Esta receita foi uma agradável surpresa. Muito por culpa da manteiga de amendoim, que adoro. Acho que estou capaz de a repetir mais vezes.

A ideia das "overnight oats" (aveia de um dia para o outro) é basicamente misturar os flocos de aveia com qualquer líquido (leite vegetal, chá, água) e deixar durante umas horas a aveia "cozer" sozinha. Depois os ingredientes extra ficam ao gosto de cada um. Mas a base é esta. Simple as that.

Outra dica é usar as sementes de chia, porque quando estas sementes são demolhadas, incham e formam uma espécie de gelatina, o que vai trazer ainda mais consistência às papas (ou a qualquer outra receita onde as utilizem, desde que misturadas com algum líquido).

Esta receita é portanto uma dose de energia pura.

Nota: Eu não gosto das papas muito líquidas (sim, sou esquisita com estas coisas!), portanto estas ficam bem consistentes. Mas se gostarem delas mais líquidas, basta ajustarem a quantidade de leite vegetal.

Vamos à receita?

"Overnight Oats" de Manteiga de Amendoim e Banana

Sem açúcar, Raw food
Tempo de preparação: 10 minutos
Serve 2 pessoas



Ingredientes

2 bananas maduras (1/2 cup/chávena)
1/4 cup/chávena de manteiga de amendoim natural
1 cup de flocos de aveia grossos
1 cup/chávena de leite de amêndoa não açucarado
1 colher de sopa de sementes de chia
1/2 colher de chá de cacau cru em pó
2 colheres de chá de geleia de arroz (ou outro adoçante natural da sua preferência)


Toppings/cobertura

Fatias de banana
Pepitas de cacau cru com açúcar de coco (Exótico da Iswari Superfoods Portugal)
Sementes variadas



























Preparação

Numa tigela média, esmagar as bananas com um garfo.
Juntar os restantes ingredientes e mexer, envolvendo tudo muito bem.
Dividir a mistura por taças de vidro individuais.
Guardar no frigorífico durante a noite (ou pelo menos 3 horas antes de servir).
Na altura de servir, mexer novamente e adicionar os toppings a seu gosto.

quinta-feira, Setembro 25

Bolachas integrais de Guaraná e Canela



Hoje trago-vos umas bolachas integrais energéticas e nutritivas. A canela já conhecemos bem, mas já ouviram falar dos benefícios do guaraná e do melaço? 


Guaraná


O guaraná, proveniente do Brasil, é uma das plantas mais ricas em cafeína! Estimulante e renovador, contribui para o aumento da resistência física e mental, retardando a fadiga e aumentando a rapidez e clareza dos pensamentos. 

Para além disso, estimula o apetite, combate o envelhecimento precoce, ajuda o organismo na desintoxicação do sangue, regula o ritmo cardíaco, combate a obesidade, a dispepsia (dificuldades digestivas) e a arteriosclerose. 

A planta do guaraná, considerada como adaptogénia (reforça o organismo), é utilizada para tratamento de enxaquecas e nevralgias, Também é utilizada como diurético e anti-diarreico.

Deve ser consumido com moderação, respeitando as doses diárias recomendadas (cerca de 1g/dia), visto que o seu consumo em excesso pode provocar alguma dependência, assim como o café.

Nota: Não deve ser consumido por mulheres grávidas ou a amamentar. 


Melaço de Cana


O melaço de cana funciona com um substituto do açúcar, e pode ser usado como adoçante em bebidas ou na elaboração de doçaria e pastelaria. É obtido a partir da cana de açúcar, sendo esta esmagada entre rolos e posteriormente comprimida de forma a libertar o sumo. 

Ao contrário do açúcar refinado, vazio de nutrientes, o melaço é um produto bastante energético e uma boa fonte de cálcio, magnésio, potássio e ferro. 



Bolachas integrais de Guaraná e Canela

Rende aprox. 15 bolachas
Tempo de preparação: 25 minutos


Ingredientes

1/4 chávena (cup) de açúcar integral de cana (mascavado)
1/2 colher de chá de bicabornato de sódio
1 colher de chá de canela em pó
1 colher de chá de guaraná em pó
uma pitada de sal marinho integral
2 a 3 colheres de sopa de melaço de cana
1/4 chávena (cup) de azeite extra virgem (ou óleo de girassol prensado a frio)
1 colher de sopa de sementes de linhaça moídas (misturar numa taça a linhaça com 3 colheres de água e reservar)
1 chávena (cup) de farinha de espelta integral


Preparação

Pré-aquecer o forno a 180º.

Numa taça, junte o açúcar de cana, o bicabornato, a canela, o guaraná, o sal, o melaço, o azeite e a linhaça, e mexa bem com uma vara de arames. 

Junte a farinha e envolva, até formar uma massa consistente.

Com as mãos, molde pequenas bolinhas, até terminar a massa, e disponha-as num tabuleiro forrado com papel vegetal. 

Leve ao forno entre 12 a 15 minutos, até as bolachas aumentarem de tamanho e dourarem.

Retire do forno e deixe arrefecer completamente.

quarta-feira, Setembro 24

Crumble Integral de Aveia com Maçã, Canela e Gengibre

























Aveia

A aveia tem um perfil nutricional invejável. É um cereal completo, com inúmeros benefícios para a saúde.

Tradicionalmente, a aveia é conhecida como um alimento que dá força e vigor e, segundo alguns relatos históricos, os guerreiros Hunos e escoceses deviam a sua destreza física às papas de aveia.

Do ponto de vista nutricional é constituída por 60 a 70% de amido e outros hidratos de carbono.
É rica em proteínas vegetais (14%) e possui cerca de 7% de matérias gordas (lípidos), entre os quais uma significativa proporção de lecitina.
Rica em sais minerais como cálcio, ferro, potássio, magnésio, fósforo e sódio e em vitaminas do complexo B e  E, e fibras, é uma excelente fonte de energia para os desportistas.

O seu elevado teor de fibras (mais de 4%) facilita o trânsito intestinal. O conteúdo de fibras solúveis ajuda ainda a regular os níveis de glicose no sangue e o apetite, o que beneficia o controlo de peso, a acardiopatia e a diabetes.

Devido às suas propriedades tonificantes, é recomendada a desportistas e em estados de anemia, fraqueza e fadiga crónica. É igualmente muito benéfica quando introduzida na alimentação de crianças em fase de crescimento e mulheres grávidas ou a amamentar.

Ajuda também a equilibrar o sistema nervoso, pelo que é indicada para casos de depressão, nervosismo, insónia e esgotamento físico e mental.

Contribui para o fortalecimento dos ossos e dos dentes, é de fácil digestão e tem propriedades tranquilizantes e relaxantes.

A aveia contem glúten pelo que não é aconselhado o seu consumo a doentes celíacos.

Normalmente utiliza-se em flocos, farinha, grãos (descascados) e grãos germinados.

  • Contribui para estabilizar os níveis de açúcar no sangue (glicemia) 
  • Diminui a absorção de gordura
  • Melhora a saúde cardíaca (controlo do colesterol)
  • Controlo da pressão arterial
  • Ajuda a regular os intestinos
  • Estimula a produção de fibras elásticas e colagénio, prevenindo o envelhecimento
  • Eficaz no combate aos distúrbios do sono
  • Eficaz na gestão do peso






















Crumble Integral de Aveia com Maçã, Canela e Gengibre

Ingredientes

Para a base:
6 a 7 Maçãs biológicas, pequenas
1/2 colher de chá de Canela em pó
1/2 colher de chá de Gengibre em pó

Para a cobertura:
1/4 cup/chávena de Flocos de Aveia Integral Biológica
80 gramas de Farinha Integral
50 gramas de Margarina vegan (ou óleo de coco)
40 gramas de Açúcar Mascavado
1/2 colher de chá de Canela em pó
1/2 colher de chá de Gengibre em pó


Preparação

(Para a base)

Descasque as maçãs e corte-as em pedaços pequenos.

Coloque as maçãs num tacho, junte 1/2 colher de chá de canela e 1/2 colher de chá de gengibre e leve ao lume baixo, cerca de 5 minutos.

Disponha as maçãs num tabuleiro pequeno de ir ao forno (como o da foto) e reserve.

Entretanto, pré-aqueça o forno a 180º

(Para a cobertura)

Numa tigela, junte todos os ingredientes para a cobertura e amasse com as mãos, até obter uma massa arenosa.

Disponha a cobertura por cima das maçãs e leve ao forno, a 180º, entre 20 a 30 minutos, ou até a crosta estar dourada.

Sirva morno ou frio.